... | translate | to | your | language | ...

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Lima - Uma viagem inesquecível.



Recentemente fiz uma viagem para uma região que parecia até então muito distante e que não me despertava tanto interesse. Pois bem. A desculpa dessa viagem tinha sido o show internacional da cantora Beyoncé, que foi bem bacana. Como o Acre fica numa região distante dos grandes centros, não só a viagem, como também os custos ficam bem acima do orçamento de uma pessoa de classe média, em virtude de vários fatores que não vem ao caso agora.

"I Am... Tour" - Show da cantora Beyoncé

Partindo de Rio Branco/Acre até a cidade de Puerto Maldonado/Peru são cerca de 450km, dividido em algumas paradas para almoço, identificação no posto da Polícia Federal brasileira (visto de entrada) e posto de fronteira na entrada do Peru, soma-se nove horas de viagem dentro de um ônibus relativamente confortável e climatizado. 

PS I: É preciso registrar a entrada nos dois postos de fronteira e não é necessário passaporte para quem permanecer no país até noventa dias. Apenas RG com menos de dez anos de emissão. Menos uma burcracia.


PS II: Também é necessário estar em dia com a vacinação contra a febre amarela e carteira internacional de vacinação.

Chegando na cidade de Puerto Maldonado/Peru, encontramos um 'pequeno' obstáculo: o Rio Madre de Dios - no Brasil conhecido como Rio Madeira. Como ainda não há ponte, fizemos a travessia em barcos de madeira pequenos à motor. É uma travessia tranquila para quem não se importa com a significativa distância entre às margens deste rio. O curioso é na chegada, pois fora os táxis, há também os chamados 'motocar' - na novela Caminho das Índias eram chamados de Tuk-Tuk. Preço negociável e mais em conta, partimos para o hotel/pousada. Simples, mas aconchegante e com o mínino de conforto: internet wireless, banho quente e climatização em cada bangalô/chalé. A noite de Puerto Maldonado é um caso à parte. Uma cidade pequena onde a passagem dos turistas é rápida, ela não oferece muito em questão de divertimento, embora os poucos lugares que a cidade dispõe dão pro gasto. A culinária fica a desejar, uma vez que na cultura peruana, o pollo (frango) e o milho são as comidas típicas em qualquer refeição - carregam na pimenta e esquecem alguns temperos aromáticos. Já a bebida alcoólica mais consumida é o famoso Pisco.

Vista parcial da Cordilheira dos Andes no voo entre Cusco  e Lima
No dia seguinte pegamos o vôo para a capital Lima. Sobrevoamos a Cordilheira dos Andes e, depois de trinta minutos de voo, fizemos escala em Cusco. Regiao bela pela sua geografia, com clima ameno e altitude que incomoda um pouco aos ouvidos e respiração, Cuzco ainda será um grande passeio a ser feito por mim. Seguindo a viagem, mais uma hora e meia de voo e chegamos ao destino esperado. 

Vista parcial do Shopping Larcomar, em Miraflores, construído nas falésias na orla de Lima.
É o Shopping mais frequentado pelos turistas. 
Uma cidade com quase oito milhões de habitantes, Lima é uma capital cosmopolita, com grandes regiões industriais, clima seco e bem ventilado, embora quente de dia no verão, à noite é bem agradavel. Construída sobre um gigantesco platô de trinta metros de altura acima do nível do mar, a capital do Peru é presenteada com duas belas fronteiras: à leste, o início da Cordilheira dos Andes e à oeste o Oceano Pacífico. 

Praça em Miraflores. Muitos felinos bem sociáveis e saudáveis.
Multa de 2.600 soles para quem pisar na grama. [!]
Lima é uma cidade em constante crescimento e desenvolvimento, uma vez que o turismo não é canalizado somente nela e da cidade de Cuzco por causa das ruínas de Macchu Picchu. O país oferece outras grandes áreas de turismo em cidades menores, tanto ao norte, na divisa com o Equador, quanto ao sul do país, onde se descobre variações de vegetação, geografia, culturas e aventuras. Como toda metrópole, Lima também tem suas mazelas, mas não são tão expostas nas grandes avenidas que atravessam a cidade. Um detalhe que me chamou a atenção foi a limpeza. Mesmo nas regiões menos urbanizadas e não tão desenvolvidas, há um certo cuidado com a limpeza e conservação, por mais simples que seja.

Edifícios na orla em Larcomar/Miraflores. Bairro nobre da capital.

Do aeroporto ao hotel, no bairro de Miraflores, fizemos o translado em 45 minutos. Miraflores está na melhor região da capital, cercada por bairros boêmios como Barranco e San Izidro. Em Miraflores encotram-se os melhores hotéis, cassinos, restaurantes, bares, cafés, praças, lojas, artesanatos, boates, e tudo mais no quesito baladação. Como é um bairro litorâneo, em sua orla você se depara com as gigantes falésias que são um cartão postal natual. A vista e um presente para celebrar a vida e acreditar que há locais onde você pode esquecer seus problemas por alguns instantes e contemplar o grande Oceano Pacífico num pôr-do-sol de tirar o fôlego.

Centro da cidade. Mistura do antigo e do moderno.
O centro da cidade é outro cartão postal. Dividido em duas regiões, o centro cívico e comercial é repleto de gigantescas construções de prédios com arquitetura antiga espanhola, praças belíssimas, misturado ao enérgico movimento do centro da cidade, como em qualquer parte do mundo. Prepare suas pernas, pois você caminha bastante e sempre depara com uma nova suspresa para contemplar a cada esquina. O centro antigo mostra as ruínas da antiga cidade no início de sua habitação, onde há igrejas monumentais e construções bem peculiares.

Praças e prédios no centro de Lima.

Túnel de água no Parque das Águas

Devo admitir que voltei frustrado por não ter conhecido o Parque das  Águas. Um espetáculo com diversas fontes, onde você pode interagir molhando-se ou não, também caminhar em túneis de água ou assistir um pouco da história da cultura do país em um telão de vapor de água, ou mesmo se deliciar ao som de música erudita com a dança das águas, misturada com lasers onde o expectador sai de lá extasiado. Bom, fica para quando eu retorna.

Fontes interativas no Parque das Águas

Avenia Larco - Miraflores. Boemia e diversão full time.

Um detalhe curioso no bairro de Miraflores é a questão da segurança. Micro-ônibus circulam 24 por dia, taxis passando a todo tempo, ruas bem iluminadas e, no meio da semana às 2h30 da madrugada, pessoas caminhando, conversando, levando o cachorro para passear, casais idosos passeando. Confesso que isso me chocou um pouco. Vivemos com tanto medo de sair sozinho à noite no Brazil e lá eu vi esse contraste. Mas "nem tudo são Miraflores". Lima tem sim regiões perigosas como toda cidade grande. mas é seguir o velho conselho quando se está num grande centro: observe sempre onde você está e não chame atenção. Pronto. isso funcionou comigo, pois aproveitei a calmaria da madrugada depois que os bares fecham para ver a cidade quieta por algumas horas, caminhando em bairros vizinhos.

Foi assim, como ver o mar...

Oceano Pacífico
Embora conheça algumas praias do litoral brasileiro, sempre quis ver o pôr-do-sol no Oceano Pacífico. Desejo de criança realizado. A visão do sol "pousando" na água  te dá uma paz, onde por alguns instantes você se torna tão pequeno diante da grandeza desse espetáculo da natureza. Para muitos é apenas um final de tarde, mas em Lima esse final de tarde se torna diferente. Bem diferente, mágico.

Praia com pedras no litoral do Pacífico em Lima
Já sabia disso, mas quis dar uma de São Tomé. A água do pacífico mesmo no verão é fria, mas suportável. Como não há areia naquela região rochosa, me restou caminhar nas pedras que banham a orla onde as ondas quebram e o barulho torna-se mais forte do que o habitual em praias de areia. É bacana, porém desconfortável para caminhar descalço.

Saboreando um bom café com chocolate no final de tarde, tendo a orla como cenário natural.

Restaurante Rosa Náutica no pier.

Antes de finalizar, devo ressaltar duas grandes qualidades que percebi nessa viagem. Uma delas foi o bom atendimento, a hospitalidade, a cordialidade e o bom humor do povo peruano. Embora sendo turista, mesmo com algumas dificultades de comunicação (sou péssimo em espanhol), Não tive qualquer estresse com relação à atendimento e comunicação. Agora, a segunda ressalva é: embora a moeda local seja muito pouco desvalorizada em relação ao Real, muito do que se consome relacionado ao turismo é cotado em dólar. Lima é uma cidade relativamente cara, embora que, sabendo procurar, há bons e divertidos lugares com preços bem acessíveis. Os brasileiros estão descobrindo aos poucos esta cidade e suas regiões. Os europeus e norte-americanos já estão nessa há um certo tempo.

Pôr-do-sol em Lima

Apesar da viagem de volta ser bem cansativa para o físico [voo com escala, pernoite em hotel e mais nove horas de ônibus], em compensação a mente voltou renovada e descansada. Nada melhor que que espairecer ao lado de boas companhias, conhecendo um novo mundo, que nem é tão longe assim...  até que fica bem no quintal de casa.



.


.


.

Informativo de dados

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

_______________Terra e Lua