... | translate | to | your | language | ...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O banal e o que importa




Penso que a grandiosidade do ser humano está em compartilhar. Não falo de coisas materiais, mas sim de vida,  de momentos, de memórias, vivências, experiências.

A individualidade entra em conflito com esse momento globalizado que vivemos. Se formos entender o que o termo globalização de fato significa entramos numa completa frustração, pois o que mais importa para si é o ter, o que eu posso ganhar fazendo algo, aonde vou lucrar com isso. O mundo globalizado nada mais é do que business world.

Esquecemos de cumprimentar as pessoas por vontade, fazemos mais por obrigação mesmo. As pessoas saem para as baladas mais para se mostrar do que para interagir, se divertir. Os bares estão sendo utilizados apenas para 'caça' e bebedeira, não mais para confraternização entre pessoas que se querem bem.

Os relacionamentos estão ficando cada vez mais curtos, pois muitas vezes quando um anseia viver o presente pensando sempre na companhia, nas pequenas coisas que fazem a diferença, o outro tem planos maiores e acaba esquecendo-se de regar a planta que ele tanto admirou quando a conheceu e fazia questão de mostrá-la aos demais que ela era diferente, especial.

Acho que sempre foi assim, mas hoje quando paro para observar o comportamento das pessoas em geral, só se pensa em  álcool, dinheiro e sexo. Tá, esses três itens são muito bons, concordo. Mas cadê a interação entre as pessoas? Onde estão as amizades sinceras, as conversas saudáveis?

Não é sobre tradicionalismo que quero que o mundo volte a ser, mas sinto falta de alguns princípios e valores que adquiri com minha criação em relação ao respeito com as pessoas que me cercam, bem como cultivar bons amigos, uma vez que eles são minha segunda família, a que eu escolhi partilhar minha vida.

A preocupação com a vida alheia hoje é banal. Ninguém se importa com a essência da pessoa. Ninguém valoriza o que ela pode fazer de bom, sempre procurando algum defeito para detonarem na primeira oportunidade.

Fala sério, gente! Ninguém é perfeito ao ponto de ser 'certinho' 24 horas!

Só sei de uma coisa. Vou tentar fazer minha parte até aonde eu achar que me faz bem. Isso serve para tudo na minha vida, seja no trabalho, nos amigos, no relacionamento e na família. Viver exclusivamente em função dos outros eu não vou e não quero mesmo.

Como qualquer pessoa esclarecida de suas ideias, eu quero pra mim o melhor que posso oferecer aos que amo e respeito.

Quanto aos demais, boa sorte.

.

.

.
.

.

.

4 comentários:

Daniel Savio disse...

E aqueles certinhos 24 horas são chatos demais para viver junto, fato...

Mas penso que o pessoal prefira uma diversão frivola do que realmente uma amizade "/

E outra coisa, feliz natal e um prospero ano novo menino.

Fique com Deus, menino VDJ.
Um abraço.

Dama de Cinzas disse...

Acho que tudo isso sempre existiu mesmo. Só que de tempos em tempos, o que demonstra poder mudar um pouquinho e todos passam a correr desesperadamente atrás daquilo.

Com a internet e a velocidade das informações a gente acha que tudo aumentou, mas é que não tomávamos tanto conhecimento.

De qualquer maneira é uma armadilha bem difícil de não se cair, é preciso ficar atento sempre.

Beijocas

Joao Paulo disse...

Já faz tempo que ninguém se preocupa com a essência do outro. E já faz algum tempo que eu venho desacreditando em intenções sem esperar um retorno. Tudo que as pessoas fazem é em função de receber algo em troca disso. Claro, não é totalmente errado, porque se eu ajudo meu amigo, quando eu precisar, o mínimo que eu vou esperar é que ele faça o mesmo. Mas eu falo é da intenção, de ajudar sem esperar que a outra pessoa vá fazer o mesmo, ainda que você saiba que seria o correto, o esperado. Enfim, muita coisa verdadeiro se perdeu com os anos... e muita coisa que as pessoas julgam "necessárias" ajudaram para que isso acontecesse, talvez o essencial fosse mais visível aos olhos quando o mundo não era tão tecnológico.

GeorGUN disse...

Vou me atrever, mas acho que isto é o que estamos passando, de maneiras diferentes.

A-HA - Crying in the rain

Eu nunca deixarei você ver
O jeito que meu coração partido está me machucando
Eu tenho meu orgulho e eu sei como esconder
Toda a minha tristeza e sofrimento.
Eu chorarei na chuva...

Se eu esperar pelos céus tempestuosos,
Você não distinguirá a chuva
Das lágrimas nos meus olhos,
Você nunca saberá que eu ainda te amo tanto.
Então, embora os desgostos permaneçam, Eu chorarei na chuva...

Gotas de chuva caindo do céu
Nunca conseguiriam tirar meu sofrimento.
Porém, já que não estamos juntos,
Eu rezo por tempo chuvoso
Para esconder estas lágrimas que eu espero que você nunca veja.

Algum dia quando meu choro estiver acabado,
Eu vou exibir um sorriso e caminhar ao sol.
Eu talvez seja um tolo, mas até lá,
querida, você nunca verá eu me queixar
Eu chorarei na chuva...

Porém, já que não estamos juntos,
Eu rezo por tempo chuvoso
Para esconder estas lágrimas que eu espero que você nunca veja.

Algum dia quando meu choro estiver acabado,
Eu vou exibir um sorriso e caminhar ao sol.
Eu talvez seja um tolo, mas até lá,
querida, você nunca verá eu me queixar
Eu chorarei na chuva...