... | translate | to | your | language | ...

sexta-feira, 31 de julho de 2009

40 questões para libertar sua mente




  1. Quantos anos você se daria se não soubesse quantos anos tem de verdade?
  2. O que é pior, falhar ou nunca tentar?
  3. Se a vida é tão curta, por que fazemos tantas coisas que não gostamos e gostamos de tanta coisa que não fazemos?
  4. No final das contas, quando tudo estiver dito e feito, terá você dito mais do que feito?
  5. O que você gostaria de mudar de imediato no mundo?
  6. Se a felicidade fosse a moeda principal, que tipo de trabalho o deixaria rico?
  7. Você está fazendo o que acredita ou está acostumado com o que está fazendo?
  8. Se a expectativa média de vida fosse de 40 anos, como você viveria sua vida?
  9. Em que nível você realmente controla o curso da sua vida?
  10. Você está mais preocupado em fazer certo as coisas ou fazer as coisas certas?
  11. Se você pudesse oferecer um único conselho a uma criança, o que seria?
  12. Você já viu insanidade onde antes havia criatividade?
  13. O que é que você sabe que faz diferente das outras pessoas?
  14. Por que as coisas que lhe deixam feliz não deixam todos felizes?
  15. Há alguma coisa que você não fez que você realmente gostaria de fazer? Por que não faz?
  16. Você está se segurando em algo que deveria ser solto, libertado?
  17. Você aperta o botão do elevador mais de uma vez? Você realmente acha que ele vai chegar mais rápido?
  18. Você preferiria ser um gênio preocupado ou um alegre simplista?
  19. Você sempre foi o tipo de amigo que você gostaria de ter como amigo?
  20. Qual a sua maior gratidão? Por que?
  21. Você preferiria perder toda a sua memória até hoje ou nunca poder ter novas?
  22. É possível saber a verdade antes de primeiramente confrontá-la?
  23. O seu maior medo já se tornou verdade alguma vez?
  24. Você se lembra daquilo que lhe deixou muito triste há 5 anos atrás? Isto é importante agora?
  25. Quando na sua vida você se sentiu mais apaixonado(a) e vivo(a)?
  26. Se não agora então quando?
  27. Se você não conquistou o que você quer até agora, o que tem a perder?
  28. É possível saber, sem sombra de dúvida, o que é bom e o que é mal?
  29. Se você ganhasse 10 milhões de Reais, você deixaria seu emprego?
  30. Você gostaria de ter menos trabalho para fazer ou mais trabalho daquilo que realmente gosta de fazer?
  31. Você se sente como já tivesse vivido este dia cem vezes antes?
  32. Se você soubesse que todos que conhece morreriam amanhã, quem você visitaria hoje?
  33. Qual a diferença entre estar vivo e viver?
  34. Quando é a hora de parar de calcular riscos e recompensas e simplesmente fazer o que é certo?
  35. Se nós aprendemos com nossos erros, por que sempre temos medo de cometer um erro?
  36. O que você faria de forma diferente se soubesse que ninguém o julgaria por isso?
  37. Quando foi a última vez que você notou o som da sua respiração?
  38. O que você ama? Suas ações expressam esse amor?
  39. Daqui 5 anos você se lembrará do que fez ontem? E antes-de-ontem? E o dia anterior?
  40. Decisões estão sendo tomadas neste exato momento. O ponto é: Você as está tomando por si mesmo ou está deixando que outros tomem por você?


__________________________________________________________________

Este texto foi originalmente publicado no site Marc and Angel Hack Life.
Tradução e adaptação por Viva mais verde!



[]'s

.

.

.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Simples sim!



Nunca me prendi a termos rebuscados, palavras tiradas de dicionários para dar um ar mais cult à minha escrita. Sempre parti da simplicidade em escrever, pois assim penso que posso chegar a todas as camadas de intelectos, me fazendo entender, colocando o mínimo de coesão para que o leitor veja o início, o meio e o fim.

Admiro quem sabe usar as palavras com maestria sem perder a simplicidade. Luis Fernando Veríssimo faz muito bem esse ofício. Se minha criatividade e leveza chegarem pelo menos à sola dos pés dele, já me dou por satisfeito. E olha que isso não é querer pouco não, viu!

Nunca precisei de opiniões alheias para influenciar na forma de me expressar aqui. Somos influenciáveis quando nos interessa, quando nos convém. As vezes até por fraqueza, mas a decisão e responsabilidade é sempre nossa em se deixar levar. Eu gosto do meu jeito simples aqui. Por mais inteligente que você seja, leitor, é irritante e fadigante ler algum artigo onde é necessário usar o Aurélio periodicamente para poder entender o que o autor quis mostrar.

Talvez você pense "esse cara gosta mesmo de falar de si". Falo! O que é conveniente, claro, porque cada um de nós, figuradamente, é como se fosse um livro, um texto, um artigo, um editorial, um roteiro, uma história. Cabe a cada um colocar as partes boas ou ruins para fora, dividí-las para os outros - caso queriam. Se passar/compartilhar experiências/opiniões pessoais não é uma forma de comunicação, de aprendizado, então para que conversamos, trocamos idéias ou experiências, senão as da nossa própria vida? Gosto de escrever como se estivesse conversando diretamente com você - é você mesmo que está lendo! Não sou nenhum inatingível que escreve de forma distante, com se fosse um texto técnico ou apenas informativo - ou mesmo para criar uma imagem de "o cara". Posso até ter um gosto diferenciado, aprimorado para algumas coisas, mas usar complexidade aqui nos textos, não mesmo!

Não sou cientista, nem político, nem crítico especializado. Falo de cotidiano, de música, de experiências minhas, alheias, assuntos curiosos ou intressantes. Ainda não sou pago para escrever, então do jeito que está pra mim tá bom.


Claro que não vou ficar dizendo o que faço ou o que não faço, pois aqui não é um diário. Expor opiniões, experiências pessoais ou gerais pra mim é valido sim. Quando canso do gênero, alterno para outro [é só fuçar o histórico de postagens, minha gente!].

Enfim...

As vezes um pequeno brilho em meus olhos causa certo incômodo a quem precisa de colírio para se igualar.




"Não sou nada, não tenho nada, mas na simplicidade do meu nada, posso oferecer tudo."




.

.

.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Interprete


A interpretação de um texto é muito peculiar para quem o lê. As vezes colocamos palavras de uma forma pessoal ou geral, que seja, mas sempre teremos uma opinião diversa, positiva ou não, convergente ou imatura. Esse é o propósito de quem escreve na internet: gerar discussão.

Gosto do ponto de vista saudável de cada comentário, tosco ou inteligente, pois vejo que minha opinião as vezes pode influenciar ou desagradar a qualquer ser com o mínimo de percepção que perde ou ganha seu tempo dedicando uns minutinhos para ler minhas singelas e simplórias escritas.

Não foi à toa que criei esse blog. Não encaro de modo único e exclusivamente pessoal, embora muitas coisas escritas aqui são parte do que sou e penso. Mesmo escrevendo sobre assuntos gerais, a minha opiião está sempre aqui, de uma forma ou de outra, até porque quem está redigindo sou eu. Mesmo postanto algum artigo interessante, o faço por pensar igual ou similar ao que divulgo.

Cada semana escrevo o que me vem à cabeça, seja algo que me incomode, que me intrigue, me encante ou me irrite. Não sou jornalista, apesar de que respeito muito a classe, mas não entrei nesse mundo porque não seria valorizado [principalmente financeiramente] pelo que penso que poderia pensar.


Aos blogueiros, tenho todo o respeito possível, dentro de um limiar que tange a coerência e o bom senso. Critico? Sim! Tenho todo o direito expor o que não me agrada. Elogio? Claro, quando penso que seja necessário. Estou puto da vida com algo? Problema meu! Se não puder escrever mesmo que seja um desabafo, não teria esse blog. Se escrevo bem ou mal, sou eu quem tem que decidir, uma vez que não tenho nenhum chefe de redação para ditar se preciso melhorar, cortar ou acrescentar. Senão tudo isso, pra que a democracia que tanto pregam?

Erro sim, por que não? Assim me faço mais observador.

Para quem não gosta de leitura simples, ou para quem reclama que minha criatividade é baixa ou fraca, só me resta sugerir que procurem algo que o agrade. Aqui é o meu espaço. Eu sou o dono dele.



[]'s

.

.

.

terça-feira, 28 de julho de 2009

A vida as vezes nos prega cada peça...




Por acreditarmos que as coisas podem ser diferentes, muitas vezes encaramos desafios que, pelo fato de ser novo, curiosamente interessante, a gente acaba se jogando pra ver aonde isso vai dar.

Chato é que acontece com muita frequência às pessoas, pois todos nós sonhamos sempre com algo melhor para nós mesmos. Alguma coisa que nos faça sentir seguros, que nos faça dormir mais tranquilos, pois a sensação de proteção nos conforta e nos acalma.

Mas não... quase sempre é tudo ilusão!

Quando pensamos que achamos um porto seguro, em meio às tentativas frustradas durante a vida. Esse porto é como uma areia movediça, algo que aparentemente poderia ser seguro começou a afundar.

O fato é que, quanto mais decepções a gente passa durante a vida, mais calejados e desconfiados ficamos diante das coisas, das pessoas, de tudo o que aparece em nossas vidas. E fica difícil acreditar que "pode ser diferente" da próxima vez.

Não que eu me esconda num casulo, com medo de tudo e de todos... mas infelizmente fico descrente das pessoas que se aproximam, pois nunca saberei o quanto poderei abrir espaço para elas entrarem na minha vida, uma vez que os interesses delas podem ser cuidadosamente dissimulados (ou não, vai saber).

Ainda acredito sim, mas nas pessoas que me amam/respeitam, aquelas que estão comigo (perto ou não) já há algum tempo - pois fizeram por merecer. Abrir espaço para as novas é uma tarefa difícil, uma vez que a desconfiança vai ser latente até ela me provar, depois de um bom tempo, que vale a pena fazer parte da minha vida.

Sejam em crenças, amigos, relacionamentos, família, trabalho, enfim... há uma possibilidade de você se encantar ou se decepcionar em algum desses itens. No trabalho, confiar é um risco, pois alguém pode querer puxar seu tapete. Família é uma fábrica de loucos e nem sempre se pode confiar (eu que sei). Relacionamentos e amizades são como plantas frágeis, ou seja, o cuidado diário é fundamental. Agora crenças... enfim... é algo que está difícil é crer que posso crer em algo.

A escolha foi minha... experimentei. Aprendi que posso ver que eu errei por que eu quis errar. Me lasquei, me decepcionei, mas foi bom pra ver que mais uma vez eu tentei fantasiar que poderia ser diferente. Hoje estou cada vez calejado, porém ainda vivo.

Não dou isso como conselho... mas se você quer experimentar a vida, as pessoas? Vai lá! Cada um aprende e tira as conclusões por conta própria de acordo com cada resultado obtido. Quem sabe você dá sorte!



.


.


.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

MSN





Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSN's.
Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do Nick.


O espaço 'nome' foi criado pela Microsoft para que você digite O NOME que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que 'Vendo Abadá do Chiclete e Ivete' é na verdade Tiago Carvalho, ou 'Ainda te amo Pedro Henrique' é o MSN de Marcela Cordeiro.
Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o Nick diz muito sobre o estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um Nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa...


'A-M-I-G-A-S' o fim de semana foi perfeito!!!' acabou de entrar.
Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes (perigosas), terminou o namoro e está encalhadona.
Uma semana antes estava com o Nick 'O fim de semana promete'.


Quer mostrar pro ex e pros peguetes (perigosos) que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o rabo de Balalaika, Baikal e Velho Barreiro e beijar umas bocas repetidas.


O pior é que você conhece o casal e está no meio desse 'tiroteio', já que o ex dela é também conhecido seu, entra com o Nick ' Hoje tem mais balada! ', tentando impressionar seus amigos e amigas e as novas presas de sua mira, de que sua vida está mais do que movimentada, além de tentar fazer raiva na ex. 'Polly em NY' acabou de entrar. Essa com certeza quer que todos saibam que ela está em uma viagem bacana. Tanto que em breve colocará uma foto da 5ª Avenida no Orkut com a legenda 'Eu em Nova York'. Por que ninguém bota no Orkut foto de uma viagem feita a Praia-Grande - SP ?


'Quando Deus te desenhou ele tava namorando' acabou de entrar. Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais tocada nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como 'Diga que valeuuu'
ou 'O Asa Arreia' na época do carnaval.


'Por que a vida faz isso comigo?' acabou de entrar. Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé na bunda e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex.


'Maria Paula ocupada prá c**' acabou de entrar. Se está ocupada prá c**, por que entrou cara-pálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir à janelinha azul piscando na telinha e vai mandar o trabalho pro espaço. Com certeza.


'Paulão, quero você acima de tudo' acabou de entrar. Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado pelas suas amigas piriguetes (perigosas).


'Marizinha no banho' acabou de entrar. Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu Nick para 'Marizinha bebendo água'. Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o Nick 'Marizinha matriculando o moleque na natação'.
' < . ººº< . ººº< / @ || e $ $ ! || |-| @>ªªª .>ªªª>' acabou de entrar.
Essa aí acha que seu nome é o Código da Vinci pronto a ser decodificado.
Cuidado ao conversar: ela pode dizer 'q vc eh mtu déixxx, q gosta di vc mtuXXX, ti mandá um bjuXX'.


'Galinha que persegue pato morre afogada' acabou de entrar. Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que ta dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e Cia.


'VENDO ingressos para a Chopada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP' acabou de entrar. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobe no meu computador é espaço publicitário.


'Me pegue pelos cabelos, sinta meu cheiro, me jogue pelo ar, me leve pro seu banheiro...' acabou de entrar. Sempre usa um provérbio, trecho de música ou Nick sedutores. Adora usar trechos de funk ou pagode com duplo sentido. Está há seis meses sem dar um tapa na macaca e está doida prá arrumar alguém pra fazer o servicinho.
'Danny Bananinha' acabou de entrar. Quer de qualquer jeito emplacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades gostosas, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegará nem a figurante do Linha Direta.
Bom é isso, se quiserem escrever alguma mensagem, declaração ou qualquer coisa do tipo, tem o campo certo em opções 'digitem uma mensagem pessoal para que seus contatos a vejam' ou melhor, fica bem embaixo do campo do nome!!


Vamos facilitar!!!!







.


.


.



segunda-feira, 20 de julho de 2009

Mix Sobre Amizade



Sei que muitos irão discordar, argumentando que família é mais importante, que amor é mais importante, mas lembre-se que para que todas essas ligações funcionem de verdade é preciso, primeiro, a amizade. Um estudo realizado pela Universidade de Los Angeles comprova que a ocitocina (ou oxitocina), hormônio produzido pelo hipotálamo, além da função de promover as contrações uterinas durante o parto e a ejeção do leite durante a amamentação, é responsável pelo que as pessoas sentem ao abraçar um amigo ou companheiro de longa data. Ele também é considerado o hormônio da confiança. Quem nunca amou um amigo, a ponto de sentir-se capaz de abrir mão da própria vida por ele? Amigo, amigo de verdade, não concorda com tudo o que você diz, nem alisa sua cabeça quando percebe que, embora você esteja sofrendo, as escolhas que você fez foram erradas. Amigo te olha de frente, dentro dos olhos e fala com toda honestidade quando você pisou na bola, mesmo sabendo quanto isso irá doer. Nem sempre amigos servem para nos poupar dores, muito pelo contrário. Convenhamos: é preciso muito amor para falar algo que sabemos que irá machucar uma pessoa que amamos, exatamente porque a amamos. Amigo te ama descabelado, de mau humor, com chulé, com dinheiro ou sem, quando você está chato porque levou um pé na bunda e quando você dá um tempo para curtir um novo amor. Te ama tanto que mesmo que se passem vinte anos, a sensação quando vocês se encontram é como se tivessem se visto no dia anterior. Quando a gente conhece alguém por quem sente que a amizade verdadeira é algo possível é quase como se começássemos um namoro. No fundo, a gente sempre se apaixona por um novo amigo. A grande diferença é que não canalizamos nossa sexualidade para esta nova paixão. É certo que às vezes até sentimos “algo mais” por um amigo ou outro, afinal somos humanos, mas não permitimos que o desejo se sobreponha ao amor de amigo. Tem coisas que só conseguimos falar para amigos. Quem consegue falar sobre a vida sexual com a própria mãe, por exemplo? São poucas, tenho certeza. Amigo preenche nosso vazio existencial quando nos sentimos as únicas pessoas do universo. Ele vai te procurar lá no fundo do poço e te dá a mão para ajudá-la sair. Ele sabe quando tem que “meter o pé na porta” pra te tirar de casa em um sábado à noite ou respeitar o seu espaço quando você quer ficar sozinho. Com nossos amigos podemos exercitar a compaixão, o carinho, a admiração. Podemos ser inteiros e honestos, porque sabemos que um amigo de verdade não vai nos abandonar porque temos mania de lavar a mão cinco vezes antes de sair de casa, gostamos de feijão em cima do arroz ou preferimos vôlei ao invés de futebol. Só quem tem um amigo de verdade sabe do que estou falando.



_______________
[fonte:MixBrasil]




.

.

.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Não MESMO!

Justificar
Todo ano a Globo e o SBT vêm com campanhas para sensibilizar a população para ajudar nas causas filantrópicas em apoio às crianças carentes do nosso país.



Acontece o grande espetáculo com artistas do momento. Eles cantam, dançam, fazem firulas e coerografias que deixariam Debora Colker mais irritada do que a Fernanda Young.
São 24, até 48 horas de shows e campanhas massantes, inclusive nos intervalos comerciais, mostrando a pobreza, a miséria, emocionando as massas e fazendo com que as mesmas corram para o telefone ligando para os trocentos números disponíveis para sossegar o ego e dizer "estou fazendo a minha parte".

Isso sem falar nas campanhas de ajuda aos desabrigados nas enchentes pelo sul, norte e nordeste do país, mais evidente e noticiada neste ano de 2009.

Autoridades, chefes de estado, artistas em geral, todos se mobilizam (apenas mostrando os rostos, fazendo cara de sérios) para dizerem que são parte também, dando o apoio moral e a influência do nome [?], tentando agilizar e fazer com que os mais idiotas sensibilizados ajudem doando o que podem, seja dinheiro, roupas, alimentos ou mesmo como voluntário.

Muitos desses voluntários se deram bem, 'fizeram a feira' de roupas e a cesta básica separando o que era conveniente para si e o que não lhe servia, destinava às doações. Isso tudo dentro dos galpões de coleta de donativos. Não é lorota, o próprio Jornal Nacional noticiou. Não menosprezo quem fez e faz com seriedade, mas houve falcatrua sim.

Sou nortista e todos os anos temos enchentes, onde a água do rio invade os bairros mais baixos, onde quase todos são habitados por pessoas carentes, onde dezenas, centenas de famílias são levadas a abrigos temporários. Depois da vazante do rio, elas têm que recomeçar a vida, tentando adquirir tudo que perderam do pouco que têm mais uma vez. É um prato cheio para as redes de lojas de móveis e eletrodomésticos.

Agora... por que do título?
Calma... eu respondo...


Já pagamos impostos demais... desde a água que consumimos até o pão de cada dia. Todos sabemos que os impostos somam de 30 a 60% em cima do valor do que compramos/consumimos. É DIREITO E DEVER dos governos municipais, estaduais e federal arcar com as despesas e ajudar em tudo que seja para nós, população, pagadores de impostos. Não sou preguiçoso, nem displicente, sou CONSCIENTE, pois FAÇO MINHA PARTE pagando meus impostos para (tentar) ter direito à algo... e o governo fazer a parte dele.

Antes fosse... ¬¬

Me sensibilizo sim com a miséria que assola nosso país. Não sou frio a tal ponto. Só sei que posso ajudar de outras formas, não sendo roubado mais do que sou pelos impostos diários, semanais, mensais, anuais, perpétuos...

Que venham essas campanhas, batendo recordes de arrecadações, sugando cada centavo da população burra que pensa que colocar a cabeça no travesseiro e dormir com a consciência tranquila por ter ajudado ao próximo com um simples telefonema é a fazer 'boa ação' do ano.



[]'s

.

.

.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Andando pelo céu...



WALKING IN THE SKY

Dj Encore


[Intro 1]
So many people looking for happiness
Expecting more of a brighter day

You'd sell your soul running from loneliness
Instead of giving yourself away

[Chorus]
When you're walking in the sky
heaven's holding hands with you

so you better learn to fly

before you're falling through

'cause I'm walking in the sky

heaven's holding hands with me

now I think I've learned to fly

I'm happy just to be


You guide me here
asking the question why
I used to close every open door
I'd find the sun even on cloudy skies

I've had my time and I don't need more


Chrorus

I'm happy just to be
cause I'm walking in the sky
now I think I've learned to fly

Intro 1


Chorus


I'm happy just to be

cause I'm walking in the sky

now I think I've learned to fly


D O N W L O A D


[]'s

.


.

.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

FaNaTiSmO - A invasão da fé




FIFA REPREENDE COMEMORAÇÃO RELIGIOSA DO BRASIL NA ÁFRICA
A comemoração do Brasil pelo título da Copa das Confederações, na África do Sul, e o comportamento dos jogadores após a vitória sobre os Estados Unidos causaram polêmica na Europa. A queixa é de que a seleção estaria usando o futebol como palco para a religião. A Fifa confirmou à Agência Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final.
Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da seleção brasileira fizeram uma roda no centro do campo e rezaram. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a Fifa e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer... (continua no link)




Agora é aqui comigo!!!

A questão aqui não é condenar a atitude dos jogadores... mas usei o texto apenas como link para escrever o texto a seguir.

Bom, ja não bastam as reuniões com horas e horas de cultos, vigílias e sei-lá-o-que mais que as religiões fundamentalistas [aquelas que acreditam que só elas são as "perfeitas"] e algums outras vertentes vem invadindo o espaço comum a todos. As tradições e as práticas religiosas são componentes do chamado "fundamentalismo" que caracteriza o fenômeno do fanatismo nos dias atuais. Não é por outra razão que os autores afirmam que o fanatismo religioso (do passado e do presente) é denominado de “choque de civilização” ou “choque de religiões”. O fanatismo caracteriza-se pelo “excesso de zêlo na defesa de certos ideais religiosos dando margem para alguns assombrosos banhos de sangue ao longo da História”.

No dia-a-dia isso incomoda - e muito! Não sou obrigado a ouvir musiquinha gospel dentro do ônibus porque um fielzinho quer ouvir no último volume do celular dele - e sem fone de ouvido. No trabalho, pelos corredores um ou outro "colega" entrega um convite para um culto ou mesmo na cara de pau, tenta converter alguem mais influenciável. Não sou obrigado a ouvir s os gritos de um pseudo-líder religioso, pois me nego a chamar um cara desses de pastor, uma vez que eles não têm titulação nenhuma oficializada, nem sequer o direito de extorquir dinheiro de pessoas fragilizadas que se deixam levar pelas palavras de incentivo, colocando sonhos de uma vida melhor se for pago (cobrado religiosamente) 10, 20 ou 30% do - na grande maioria o mísero e suado - salário mensal.

Enfim... não to julgando, nem questionando a honestidade dessa classe, pois quem frequente esses locais que tire as suas. O que me irrita é a falta de bom senso desse povo que acha que vestindo a camisa do 'exército de Jesus', ouvindo o sonzinho gospel e colocando justamente em ambientes coletivos para tentarem "lavar o cérebro" com músicas de "incentivo", de "adoração", de fé [?], de que a vida pode ser melhor...

Ah... balela!
Não trabalhe não pra ver o que acontece!

Quem tá riquinho mesmo com a vida ganha é o dono da TV Record, que com os grãos colhidos regularmente pelos fiéis, futuramente vai pagar 3 milhões mensais para um apresentador do SBT em 2010. Imaginem o montante somando os salários dos demais astros da casa.

Que lê deve pensar... esse cara (eu) é louco, só fala mal do povo, das coisas... deve ser um mal amado, um revoltado! Mas gente, o que posso fazer se esse povo non-sense está caminhando para uma guerra santa. Pois para cada religioso imaturo que quer defender o seu e discriminar o outro, tem outro imatuto idiota que cái nessas idéias mal interpretadas. É quase sempre assim.

O mais cuiroso disso tudo é que... as religiões/crenças que utilizam da bíblia [edição novo testamento] tem visões diferentes das mesmas citações... e parece que há um "Deus" para cada uma delas, pois uma está sempre recriminando a outra, tentando ser convincente suficiente para ser a 'mais correta', a mais 'fiel' às palavras escritas lá. Isso porque não citei os gritos [e berros] fervorosos, como se quanto mais alto o "cara do microfone" falasse/gritasse,/berrasse, melhor seria ouvido pelo povo la de cima. Aí vem os seguidores, gritando junto e vira aquela bagunça só. Sei disso, pois infelizmente ja morei na frente de uma igreja dessas... ô experiência ruim! Prefiro aguentar os gritos desafinados do vizinho tentando cantar mpb no videokê. Aí depois de 2 horas de culto à alguma coisa, saem satisfeitos, leves e encorajados pra enfrentar mais um dia [seguinte] de trabalho. Só que, de que adianta ser fiel à uma crença, se já na saída começam as fofoquinhas, as picuínhas, a má-educação da grande maioria que suja a imagem dessas crenças, pois a minoria leva mesmo à sério e respeita as diferenças de pontos de vista.

Lá vou eu de novo... gente é ponto de vista pessoal.

Não condeno crença nenhuma, nem a atitude dos jogadores no campo de futebol! Só não tolero fanatismos [como o noticiado na matéria acima] e invasão de gente que se acha superior, "eleita" pelo divino espítiro santo e que pensa que pode fazer tudo, esquecendo que há outras pessoas com pensamentos diferentes, discordantes e que merecem ter seus espaços respeitados - melhor dizendo - cada um no seu quadrado. Nada contra você crer no que melhor convém , no que te faz bem [sem fanatismos ou ideologias non-sense]... mas me obrigar a fazer parte, acreditar ou seguir, aí a história é outra. Ja tenho meus pontos de vistas bem esclarecidos.

Vamos estudar um pouco de História geral, dos povos, civilizações, um pouco de Ciências Sociais, Antropologia, Política e Sociologia [até o velho testamento, tá valendo] e ver que a realidade é muito mais dura do que se tem idéia. Agora, ficar acreditando que marcar presença toda semana nessas casas de fé para dizer que pertence a esse nicho e bater no peito dizendo com toda a hipocrisia possível "eu vou pro céu"... sei não, ó!



Ok por hoje!



[]'s

.

.

.

Informativo de dados

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

_______________Terra e Lua